quinta-feira, 4 de agosto de 2016 in

EU LI: O DONO DO MORRO - Um Homem e a Batalha pelo Rio



Boa Noite, pessoal! Tudo bom!?

Depois da última resenha, eis o próximo livro que li.

Trata-se de uma biografia. Para mim, foi uma surpresa ter lido rápido esse livro. Na verdade, foi surpresa até eu ter lido esse livro, uma vez que não gosto de livros biográficos.

Contudo, as primeiras páginas despertaram meu interesse por todo o livro.

Bora logo então para as minhas opiniões.

SINOPSE: O dono do morro é a história impressionante de um homem comum forçado a tomar uma decisão que transformaria sua vida. Como Antonio Francisco Bonfim Lopes, um jovem pai trabalhador, se transformou em Nem, o líder do tráfico de drogas na Rocinha? 

A partir de uma série de entrevistas na prisão de segurança máxima onde o criminoso cumpre sentença, Misha Glenny narra a ascensão e a queda do traficante, assim como a tragédia de uma cidade. 

Da inundação do Rio de Janeiro pela cocaína nos anos 1980 à situação atual que embaralha voto, armas, política, polícia e bandidagem, a apuração impecável de Misha Glenny revela cada peça de um complicado quebra-cabeças.

ANÁLISE: Seja bem-vindo a um mundo em que muitos dizem conhecer, mas de fato, posso apostar, não sabem nem 1%. Um universo em que pessoas que ali se encontram, vivem, crescem no sofrimento, na angústia. Pessoas que podem estar ao seu lado, te dar bom dia, trabalhar para você.

Pessoas que vivem nos morros, nas favelas do Rio de Janeiro.

Ali dentro, mais especificamente na Rocinha, viveu Antônio Francisco Bonfim Lopes - o Nem da Rocinha, considerado um dos maiores traficantes do Rio de Janeiro.

Eu já havia lido o livro "O Abusado" do repórter "Caco Barcelos", e assim apresentado a um outro chefe do tráfico carioca - Marcinho VP. Neste, tive a desconstrução da ideia de bandido que na maioria das vezes é vendida pela grande mídia - matador, implacável, que não está nem aí para ninguém - o que não é verdade absoluta (ao menos pela história que se é contada).

No livro "O Dono do Morro", Nem é apresentado como um líder nato, com grande qualidade administrativa e organizacional. Uma pessoa que se preocupa, acima de tudo, com o bem-estar da sua comunidade e os moradores. Prova disso é quando da época à frente da facção o índice de violência na Rocinha havia caído drasticamente.

O livro retrata também, ainda que rapidamente, a vida das pessoas que fizeram parte da história do início de Nem como traficante, passando pela sua ascensão até a queda - pouco antes da pacificação da favela.

O trabalho do repórter britânico Misha Glenny é excelente. Biografia e fatos muito bem montados e escrita ótima. Não há um capítulo desnecessário ou inútil no livro. Cada página goza de informação relevante.

Aconselho o livro para todo mundo, em especial para quem não sabe muito da realidade dos moradores das comunidades do Rio de Janeiro e dos traficantes.

Não quero dizer que tudo é maravilha, todos são anjos, pelo contrário. Estou apenas querendo convidá-los a terem uma visão mais ampla - retirando certos esteriótipos.

É isso pessoal, abraço e até a próxima!

terça-feira, 12 de julho de 2016 in ,

EU LI: A GAROTA NA TEIA DE ARANHA




Mais de 3 (três) anos se passaram desde minha última atualização.
Confesso, sem dúvida, de que abandonei este BLOG.
Muitas coisas me aconteceram nesse período: me torneio Defensor Público Federal, me mudei do Rio de Janeiro para a cidade de Santos, viajei para diversos lugares, conheci muitas pessoas, me tornei proprietário e editora de uma editora de quadrinhos – a Editora Devaneio (www.editoradevaneio.com.br), escrevi roteiro de quadrinhos e, claro, li muito!
Poderia dizer que fiquei sem tempo de postar. Mas, como sou da corrente de que “tempo a gente sempre arruma”, a sinceridade é que havia me desmotivado em atualizar.
Com muita reflexão, resolvi voltar. Sei que talvez poucas ou pouquíssimas pesosas cheguem a este site para ler algo, mas vou manter o projeto de atualizá-lo agora – até para treinar mais ainda minha escrita.
Vou manter a mesma filosofia de outrora – resenhas aqui postadas serão claras e objetivas – resumindo-se apenas se eu gostei ou não. Aqui, vocês não vão ver nada de crítica profunda, referências, nem nada.
Bom, vamos ao que interessa?
Semana passada, terminei de ler o quarto volume da série Milenium, criada pelo falecido autor Stieg Larsson.

SINOPSE: A hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite, e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker — parecida com alguém que ele conhece. Blomkvist, que precisa de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, porém, tem objetivos próprios. Em 'A Garota na Teia de Aranha', a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores com 'Os homens que não amavam as mulheres', 'A menina que brincava com fogo' e 'A rainha do castelo de ar' se reencontra em um thriller explosivo.

ANÁLISE: A nossa personagem principal volta com tudo, mas dessa vez ela não divide as páginas apenas com seu amigo (ou seja lá o que ela sinta por ele) Mikael Blomkvist. O novo autor convocado para dar continuidade às histórias da Hacker gênia (David Lagercrantz) lança mão de diversos outros personagens, cada um com suas motivações muito bem desenvolvidas.
São tantos os personagens, que até no meio da história você acaba esquecendo quem é quem, tendo que voltar algumas vezes para se lembrar (não, isso não é meu problema de guardar nomes rsrs). Vale um adendo quanto à quantidade de pessoas nesse livro – achei desnecessária a inclusão de alguns. Se cortassem alguns, na minha opinião, não haveria prejuízo a história – mas enfim, quem gosta de enrolar, enrola.
O livro começa muito bom. É legal você rever personagens tão queridos de volta. Você descobre “o que aconteceu com Lisbeth e Mikael nesses anos todos?”. Assim como nos livros anteriores, a trama principal não começa “com tudo”,  como podemos ver em livros publicados pela Editora Arqueiro (Harlan Coben, Dan Brown, dentre outros). Como eu disse, o autor se preocupa, primeiramente, em mostrar como está a vida de Mikael, bem como apresentar os inúmeros personagens que participarão (ou não) na história.
O livro pega no tranco depois de algumas longas páginas. Aí você fica naquele vício bom de não querer parar de ler – a insônia chega graças ao “vou ler só mais esse capítulo”. Mas não se empolgue, o livro “caí” novamente para depois “subir” de novo.
Para ser sincero, não me recordo muito do estilo de escrita dos três livros anteriores, mas este quarto volume está muito bem escrito.
A edição está impecável e a qualidade gráfica do livro segue o padrão da editora Cia das Letras.
Por tudo, o livro é muito indicado tanto para os que leram os outros volumes, claro, como para aqueles que nunca lerem um livro da série Milenium (Olha, você não precisa ler os outros volumes para entender este. Claro que ajudaria em pegar mais profundidade dos protagonistas, mas na verdade não é necessário, confie!).
É isso pessoal!
Espero que tenham gostado. Comentem caso tenham lido o livro (ou, se leram, venha nos visitar comentando aqui).

Abração! Boa Semana!

domingo, 17 de março de 2013

EU LI: O ADVOGADO


Bom dia, amigos beleza?

Não atualizo com regularidade, mas não deixei o blog não, blz? =]

Meu ritmo de leitura anda lento, por isso a demora.

O advogado é o último livro que li e aqui estou eu para fazer uma resenha rápida e objetiva como todas as outras. Bora?

SINOPSE: O advogado reúne doses exatas de suspense e ação, no estilo que marcou o sucesso de John Grisham em todo o mundo. A história deste thriller gira em torno de um bem-sucedido advogado, que trabalha para uma gigantesca firma em Washington, e sua abrupta e radical mudança de vida. Após ser mantido, junto com outros companheiros de trabalho, como refém por um sem-teto, Michael repensa seu futuro. O encontro violento o leva a descobrir as razões que fizeram o mendigo cometer o crime. Michael investigou e descobriu tratar-se de um doente mental, um veterano de guerra, há muitos anos entrando e saindo de abrigos para os sem-teto. Pesquisou um pouco mais e desvendou um terrível segredo, que, curiosamente, estava relacionado com a empresa onde ele trabalhava, a poderosa Drake & Sweeney. O que leva Michael a dar uma guinada radical na vida: deixa a firma e decide ser advogado dos sem-teto. Mas leva com ele um arquivo ultra-secreto. São documentos altamente comprometedores. Que fazem com que Michael passe a ser o objeto de uma feroz perseguição. A narrativa de John Grisham prende a atenção do leitor não só pela bandeira em defesa de uma ação mais efetiva em favor dos sem-teto, mas, principalmente, pela sensibilidade com que o tema é tratado. 


ANÁLISE: Esse é o primeiro livro que li do autor "John Grisham", cujos diversos livros foram adaptados para a TV e o Cinema.

Essa foi a minha primeira opção até pelo fato da minha formação acadêmica e atual trabalho: advocacia.

Confesso que fiquei um pouco decepcionado, pois eu esperava muito dos livros de John Grisham. "O Advogado" não cumpriu minhas expectativas.

Explica-se.

O livro começa já no ponto logo nas primeiras páginas. Um grande acontecimento ocorre com o personagem principal e ele começa a mudar desde já.

Depois, logo do início até o fim é uma narrativa de reflexões! Ela é bem narrada, mas somos levados a refletir pelas mais de 300 páginas do livro e, no clímax da coisa, faltam apenas 10 páginas para acabar. Taí o motivo pelo qual demorei muito para acabar o livro. Nada acontecia no livro para você chegar e falar "caraca, não posso parar de ler".

É  um livro agradável? É. Mas não é uma leitura boa que te leva a querer lê-lo horas e horas por dia. É daqueles que você lê umas 10 páginas e "pronto, até amanhã".

Se você espera por um livro dinâmico, daqueles de julgamento americano, júri, testemunhas, pistas: pode esquecê-lo e partir pra outro.

Tenho diversos outros livros do autor aqui (aproveitei a promoção da Submarino rsrs), mas eles esperarão por outros de outros autores que sou fã.

É isso aí galera! Abraço a todos e ótima semana!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

RECOMENDA-SE: BATMAN - VITÓRIA SOMBRIA



Vamos a uma rápida atualização do blog. Até porque esta HQ faz parte de uma série de histórias lançadas recentemente aqui no Brasil pela Panini em edição de luxo da dupla Peph Loeb e Tim Sale.

Não tenho muito o que comentar, basta você ir nas resenhas de Longo dia das Bruxas e Dia das Bruxas. Aqui temos a mesma pegada da dupla nessas duas hqs citadas.

Clima dark, investigação legal, narrativa excelente que te leva a querer investigar junto com o Batman, grandes personagens, desenhos legais etc.

Se você leu as outras HQs esta última é recomendada para completar a coleção.

A edição da Panini está novamente incrível.

Não percam essa excelente leitura

=]

Abraço!

Abaixo, fotos de algumas páginas extraídas pelo google imagens.






terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

EU LI: REFÚGIO


Olá amigos, tudo certo?

Terminei esse livro semana passada e esperei até o final de carnaval para escrever aqui uma resenha.

Vou ser rápido para não tomar o tempo de vocês.

SINOPSE: Apresentado ao público pela primeira vez no suspense "Alta tensão", Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação.
Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio. Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente.
Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada.
Para piorar, uma idosa reclusa da vizinhança lhe conta que seu pai ainda está vivo, sem dar maiores explicações. Quando esses dois mistérios se cruzam, Mickey descobre que está envolvido numa rede de intrigas que o levará a questionar a vida que acreditava ter.
Perspicaz e esperto como o tio Myron, Mickey está disposto a fazer tudo o que for preciso para salvar as pessoas que ama.


ANÁLISE/CRÍTICA: Se você gosta dos livros do Harlan Coben, mais especificamente das histórias de Myron Bolitar, você certamente gostará também desse livro.

Este tem a mesma pegada dos outros livros, mesma narrativa (do herói da história).

MAS... vou fazer umas críticas pontuais.

O livro conta a história de outro personagem não é? O do sobrinho de Myron, Mikey. Mas não parece.

O personagem principal desse livro é cópia do tio: Myron. Ambos possuem a mesma personalidade, o mesmo jeito sarcástico. A mesma bravura. A mesma vontade de desvendar os mistérios e de ajudar as pessoas. Sinceramente pra mim é como se existissem dois Myron's: o original e este só que mais novo.

O autor poderia muito bem apagar o nome Mickey e trocar por Myron e fazer uma história deste mais novo.

Achei que faltou diferenciar as personalidades dos dois personagens.

Outra coisa é a fórmula clichê de sempre nas séries que ando vendo: O personagem principal teen, ao lado de sua amiga sabedora de tudo e de seu amigo esquisito, formando um trio que consegue passar por todos os obstáculos.

Deixando essas críticas, o livro é muito agradável de se ler. Recomendo!

Abraço! Bom final de carnaval a todos.

domingo, 27 de janeiro de 2013

EU LI: UM CAPRICHO DOS DEUSES


E aí, amigos, tudo beleza?

Não, eu não acabei com o blog! Dei uma parada pois estava com muitos projetos e graças a Deus consegui não só colocá-los em prática, bem como já estão bem encaminhados. Espero que daqui a um tempo já possa divulgá-los. :-)

Agora, bora falar sobre o próximo livro que li do autor Sidney Sheldon (Um capricho dos deuses)?

SINOPSE: Nesta intrincada rede de ardil e mentiras, tecida com maestria, o leitor é fisgado na primeira página. Cientista política especializada em Leste Europeu, Mary Ashley é convidada para ser embaixadora dos Estados Unidos na Romênia. De início, ela fica reticente em aceitar a proposta, mas quando seu marido morre em um estranho acidente, ela vai para Romênia na tentativa de aplacar sua dor com o afastamento. Distante e solitária em uma terra estranha, Mary vive emocionante aventura para ser uma boa embaixadora e ao mesmo tempo se manter viva — ela logo percebe que existe uma trama para assassiná-la...


ANÁLISE/RESENHA: Esse livro segue o selo de qualidade de Sidney Sheldon. Vou repetir: personagens interessantes, únicos, narrativa rápida e eficiente, e uma trama muito interessante e envolvente. Já tá ficando chato eu ficar falando isso nas resenhas desse autor (vide "O outro lado da meia-noite" e "A herdeira").

Mas um detalhe é interessante aqui. A trama principal, cuja a sinopse indica, só começa a se desenvolver MESMO em 3/3 do livro.

Entretanto, isso não deixa o livro chato! Pelo contrário. Como eu disse Sidney Sheldon consegue criar personagens interessantíssimos com suas próprias histórias e isso em páginas suficientes!

Leitura indicada que com certeza vocês gostarão.

Dos 4 livros que já li aqui vão as ordens por enquanto: 1) "O outro lado da meia-noite"; 2) "A herdeira"; 3) "Um capricho dos deuses" e 4) "Quem tem medo do escuro" (esse não indico pra se ler, mas caso seja fã do autor não custa dar uma olhada).

É isso amigos,
Abraço e até a próxima!

domingo, 16 de setembro de 2012

EU LI: POWERS


Salve galera, blz?

Como foram de final de semana? Estou aqui nas últimas horas de domingo para fazer uma antecipação de postagem!

Vamos falar da HQ "Powers", escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por Michael Avon.

SINOPSE: Heróis deslizam pelo firmamento entre relâmpagos e fogo. Extravagantes vilões tentam ousados roubos em plena luz do dia. Criaturas alienígenas divinas se chocam em batalhas épicas no céu noturno. E nas ruas da suja cidade abaixo os detetives da divisão de Homicídios Christian Walker e Deena Pilgrim fazem seu trabalho investigando desde a misteriosa morte da Moça-Retrô a um letal jogo de RPG de super-heróis com direito a uma estonteante participação especial de ninguém menos que Warren Ellis. Esta edição definitiva do primeiríssimo ano de Powers apresenta o leitor a todos os personagens e histórias vencedoras do prestigiado prêmio Eisner que tornaram Bendis e Oeming superastros dos quadrinhos. Além do primeiro ano completo da série apresentado pela primeira vez em ordem de publicação este luxuoso encadernado traz ainda um impressionante caderno de esboços de Oeming o roteiro original de Bendis para a edição de estreia de Powers galeria de ilustrações e capas não utilizadas um guia para as participações especiais na série entrevistas e muito muito mais.

ANÁLISE/RESENHA: Demorei para adquirir essa HQ. Primeiro pelo fato de ela ter um preço inicial de lançamento muito caro (R$ 100,00) e ninguém tem esse capital pra comprar uma única HQ (até porque quem é fã de quadrinhos como eu tem diversos outros títulos para comprar!). Segundo porque não achei o desenho atrativo para mim na época.

Pois bem, às vezes agradeço a um "TOC" que tenho. Aqui especificamente quero agradecer ao de eu ficar entrando em sites de vendas online e ver os preços das coisas. Eis que para minha surpresa tinha achado essa HQ com 50% de desconto! Não pensei 2x eu fui direto colocar na cesta de compras rsrs

Recebida a HQ, era hora de lê-la.

"POWERS" pode dar um choque no leitor que folheia algumas páginas antes de começar a ler. Diversas delas há grande invasão de balões de leituras, podendo dar aquela preguiça para prosseguir a história em diante.
Mais informações »

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

EU LI: FREQUÊNCIA GLOBAL VOL. 01


Fala amigos leitores do blog, tudo certo?

Postagem em plena segunda-feira! Isso é por ter "atrasado" postagem da semana passada!

E nada como fazer uma resenha dessa HQ, que pra mim, foi uma surpresa bem grande!

Vamos lá!?

SINOPSE: Você está na Frequência Global? Em menos de uma hora um buraco negro surgirá em algum lugar no meio de São Francisco. Uma variedade muito letal do vírus Ebola vai contaminar o centro de Londres. Cem lunáticos detonarão um andar inteiro de um prédio de escritórios matando a si mesmos e seus reféns. A menos que Miranda Zero possa fazer algo a respeito.
A Frequência Global é uma organização mundial de resgate que oferece uma última chance de esperança quando todas as demais alternativas falharam. Composta por 1001 agentes, a Frequência têm especialistas dos mais diversos campos, desde Bioengenheiros a atletas de Le Parkour. Cada um deles mantém um celular especial sempre a mão que os deixa em contato com Aleph, o ponto central de toda a rede escolhida pessoalmente por Miranda Zero, a enigmática líder da Frequência Global. 

RESENHA/CRÍTICA: Relutei pra adquirir essa  HQ porque fiquei com um pé atrás por conta da editora Panini. Não levava fé que ela continuaria com a publicação até pela escolha de lançar a edição com capa dura, o que encarece a HQ e consequentemente menos vendagem.

Pois bem, eis que uns dois anos depois ela lança e segunda edição e então resolvi comprar a edição um.

E cá estou eu empolgado depois da leitura!

Warren Ellis criou uma história beeemmm legal!

Frequência Global não tem uma excelente história, com enredos sensacionais, grandes ideias etc. Não, mas não é por isso que ela deixa de ser uma tremenda de uma HQ!
Mais informações »

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

EU LI: QUANDO ELA SE FOI


Boa noite, amigos, tudo certo?

Foi mal semana passada não ter postado, acabei tendo uma semana meio pesada e esqueci o blog =/

Mas nada como voltar uma atualização com um livro, cujo autor e seu personagem gosto muito: Harlan Coben e Myron Bolitar, respectivamente.

Bora pra resenha?

SINOPSE: Um dos autores mais premiados e lidos no mundo, Harlan Coben traz uma nova história com o carismático Myron Bolitar em uma busca frenética por três continentes.

Dez anos atrás, Myron Bolitar e Terese Collins fugiram juntos para uma ilha. Durante três semanas, eles se entregaram um ao outro sem pensar no amanhã.

Depois disso, eles se reencontraram apenas uma vez, quando Terese ajudou Myron a salvar seu filho. E ela foi embora, sem deixar vestígios.Agora, no meio da madrugada,ela telefona:“Venha para Paris.”

Terese pede a ajuda de Myron para localizar o ex-marido, Rick Collins, que telefonara depois de anos implorando que ela o encontrasse em Paris. Eles logo descobrem que Rick foi assassinado e queTerese é a principal suspeita do crime.

Mas algo ainda mais atordoante é revelado: perto do corpo havia longos fios de cabelo louros e uma mancha de sangue que o exame de DNA revelou pertencer à filha do casal. Só que sua única filha morrera em um acidente de carro muitos anos antes.

Logo Myron se vê perseguido nas ruas de Paris e de Londres. As agências de segurança de quatro países parecem querer as mesmas informações de que ele precisa para desvendar a morte de Rick e o destino da filha que Terese pensava ter perdido para sempre.

Em uma busca desesperada, Harlan Coben cria um mundo de armadilhas imprevisíveis em que conflitos religiosos, política internacional e pesquisas genéticas se mesclam a amizade, perdão e a chance de um novo começo.

ANÁLISE/RESENHA: Esse já é o terceiro livro de Myron Bolitar que leio. Mais uma vez Harlan Cobben nos traz uma história bem elaborada, com bastante ação e uma narrativa simples, rápida, objetiva e que prende nossa atenção, resumindo: a leitura flui bastante bem!

Aqui damos um salto enorma desde a primeira história. Eu nem sabia que o personagem tinha um filho (talvez eu tenha que ler as primeiras histórias depois da primeira que fiz a resenha recentemente).

Mas friso que ISSO NÃO INFLUENCIA EM NADA O FATO DE ESSE SER SEU PRIMEIRO LIVRO DO PERSONAGEM. Harlan Cobben não faz qualquer ligação com outros livros, fazendo com que não necessariamente os contos de Myron Bolitar devam ser lidos na ordem certa para entender tudo.
Mais informações »

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

EU LI: Y - O ÚLTIMO HOMEM VOL.9


Olá amigos leitores do Criado-Mudo, como foram essa semana?

Mais uma sexta-feira e estou aqui arrumando um tempo rápido para fazer a postagem da semana!

Terminei semana passada o volume 8 de "Y - Último Homem". Vamos para a resenha? Partiu?

SINOPSE: O penúltimo capítulo da série! Juntos uma vez mais, os dois últimos mamíferos do sexo masculino na Terra – Yorick Brown e seu macaco de estimação, Ampersand – rumam lentamente à China, de onde O Último Homem partirá para um reencontro há muito adiado com sua noiva em Paris. Mas, enquanto ambos se preparam para atravessar mais dois continentes com a ajuda da fiel escudeira – a agente 355 –, suas outras companheiras de jornada estão quase no fim de uma busca muito diferente: encontrar o que causou a extinção em massa dos mamíferos machos há quatro anos. E o que aguarda por elas em um laboratório secreto em Hong Kong é algo inesperado e que pode significar não apenas o fim do Último Homem, como também o fim da espécie humana. De Brian Vaughan e Pia Guerra!


RESENHA: Finalmente estamos chegando ao fim de uma HQ! (Estou emocionado, acho que é a primeira HQ que acompanho que tem um início meio e fim! -"Estou falando de hq mensal de várias edições, claro).

Se na minha última resenha desta HQ falei que o autor precisava dar uma energizada na trama e explicar mais coisas, aqui ele fez exatamente isso!

A narrativa continua a mesma, claro, falas engraçadas em seus momentos (algumas piadas "internas" que poucos entenderão), desenhos simples, porém objetivos.

Há diversas explicações do mistério que ronda a HQ desde o início, mas o leitor ainda fica sem saber ao certo se essas são as exatas explicações ou não - deixando terreno para uma grande conclusão na última edição - ASSIM ESPERO!
Mais informações »

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

EU LI: A HERDEIRA

Sidney Sheldon mais uma vez cria uma excelente obra investigativa.




Olá amigos "criado-mudenses" rsrs, blz??

Terminei minha terceira leitura de mais um livro do Sidney Sheldon, trata-se, como devem ter visto na ilustração, "A Herdeira".

Já mando desde o início: o livro é INCRÍVEL!

SINOPSE:  Fundador de uma das maiores companhias farmacêuticas do mundo, Sam Roffe é um reconhecido homem de negócios. Entretanto, sua política de manter as ações da firma somente entre membros da família não era muito popular. Com a morte do empresário, Elizabeth, a herdeira, assume a direção sem saber que essa decisão pode acabar provocando sua morte... A herdeira é mais uma trama de paixões e conspirações que leva a assinatura de Sidney Sheldon, criador de sucessos como O reverso da medalha, O outro lado da meia-noite e Se houver amanhã.

ANÁLISE/RESENHA: Não sei como, mas Sidney Sheldon constrói mais uma história sólida e rica.

O legal dessa história é que há personagens bem construídos, trama envolvente, suspense pra dar e vender e muitas pistas e pistas para a gente dá uma de detetive e não ser apenas conduzido pelo escritor!

O livro começa apresentando os principais suspeitos. Como pode um escritor escrever, em tão poucas linhas, sub-histórias e personagens tão carismáticos? É assim que somos presenteados no início do livro, Sheldon nos mostra personagens e como eles são logo nas primeiras páginas.

Mais informações »

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

EU LI: J. KENDALL - AVENTURAS DE UMA CRIMINÓLOGA ED. 91


Salve amigos!! Tudo beleza???

Consegui a proeza de ler uma revista da Júlia em tempo record! Graças ao engarrafamento que peguei hoje trajeto casa-trabalho e trabalho-casa. Já que não se pode lutar contra isso, tiremos algum proveito não é? Ainda bem que estou curado dos enjoos que tinha quando lia algo em carro/ônibus.

Vamos pra resenha de mais uma Júlia.

DADOS: TRAÍDA OUTRA VEZ
Texto: G. Berardi e M. Mantero * Desenhos: Federico Antinori

Tim OLeary é um ladrão solitário e fascinante que Júlia encontrou duas vezes no seu caminho, durante a sua carreira de criminóloga. Embora não seja uma pessoa que se destaca pela honestidade, ele não é um assassino. Mas Júlia o reencontra na mais dramática das situações: o homem foi ferido durante um furto e acusado de homicídio! Mas quem realmente matou a senhora Colbert-Bannion, ex-advogada de sucesso, e roubou suas joias?


ANÁLISE/RESENHA: Mais uma vez (e não me canso de dizer sempre) somos presenteado com uma história e, se não é sensacional, é perfeitamente agradável de ser ler. Personagens como sempre bem apresentados, um mistério a ser desenvolvido (e um desenvolvimento sólido, nada muito jogado), uma reviravolta básica e a conclusão.

Neste edição, Giancarlo continua a mexer com os sentimentos amorosos de Júlia. Se nas últimas duas edições isso foi bem enfático, nesta fomos apresentados a um personagem que teve certa relação amorosa com nossa investigadora.
Mais informações »