terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

EU LI: REFÚGIO


Olá amigos, tudo certo?

Terminei esse livro semana passada e esperei até o final de carnaval para escrever aqui uma resenha.

Vou ser rápido para não tomar o tempo de vocês.

SINOPSE: Apresentado ao público pela primeira vez no suspense "Alta tensão", Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação.
Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio. Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente.
Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada.
Para piorar, uma idosa reclusa da vizinhança lhe conta que seu pai ainda está vivo, sem dar maiores explicações. Quando esses dois mistérios se cruzam, Mickey descobre que está envolvido numa rede de intrigas que o levará a questionar a vida que acreditava ter.
Perspicaz e esperto como o tio Myron, Mickey está disposto a fazer tudo o que for preciso para salvar as pessoas que ama.


ANÁLISE/CRÍTICA: Se você gosta dos livros do Harlan Coben, mais especificamente das histórias de Myron Bolitar, você certamente gostará também desse livro.

Este tem a mesma pegada dos outros livros, mesma narrativa (do herói da história).

MAS... vou fazer umas críticas pontuais.

O livro conta a história de outro personagem não é? O do sobrinho de Myron, Mikey. Mas não parece.

O personagem principal desse livro é cópia do tio: Myron. Ambos possuem a mesma personalidade, o mesmo jeito sarcástico. A mesma bravura. A mesma vontade de desvendar os mistérios e de ajudar as pessoas. Sinceramente pra mim é como se existissem dois Myron's: o original e este só que mais novo.

O autor poderia muito bem apagar o nome Mickey e trocar por Myron e fazer uma história deste mais novo.

Achei que faltou diferenciar as personalidades dos dois personagens.

Outra coisa é a fórmula clichê de sempre nas séries que ando vendo: O personagem principal teen, ao lado de sua amiga sabedora de tudo e de seu amigo esquisito, formando um trio que consegue passar por todos os obstáculos.

Deixando essas críticas, o livro é muito agradável de se ler. Recomendo!

Abraço! Bom final de carnaval a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...